O quarentão chupador de cu do Grindr

Olá mais uma vez olha eu aqui dividindo com vocês as minhas putarias rsrsrsrs.
Eu estava na faculdade e mexendo em um app de encontros quando um perfil me mandou mensagem estava escrito no perfil “Chupador de cu”
“E aí blz? Eu então respondi que sim. Começamos a conversar e ele me disse que estava sozinho em casa. Perguntei então do que ele estava afim e ele me respondeu: “louco pra chupar um cu” na hora meu cuzinho já piscou porque nada me deixa com mais tesao do que uma chupada gostosa no meu cuzinho. Marcamos então e ele disse que me pegava na porta da faculdade para irmos à casa dele. Então eu juntei minhas coisas e sai pra esperar o macho na porta da faculdade. Ele me disse que iria parar na porta e havia descrevido o carro; um ônix preto placa tal e tal. De

Ler mais

Fantasia de pedreiro entre casados

Meu nome é César Leão e ultimamente tenho relatado minhas aventuras com um amigo igualmente casado. Ontem demos um pulo no apartamento dele que está em reforma. Logo nossas esposas casaram de ficar ali e reclamaram da demora. Nisso ele olhou para mim com um sorriso no rosto e falou que elas poderiam ir embora num carro que iríamos logo depois no outro. De imediato eu disse tudo bem e assim foi feito. Bastou garantirmos que elas deixaram o prédio para ficarmos a vontade. Ele então disse que iria mostrar o quarto, uma parte que não precisou de reforma. Como imaginei uma cama nos esperava. Ele pediu para eu entrar que logo voltaria. Não esperei 2 minutos e ele aparece com a camisa de botão aberta, cueca e chapéu de pedreiro. Olhando para mim disse que ia mostrar a

Ler mais

Casado curioso do Grindr

Sou casado com mulher, e hoje aos 43 anos sou bem resolvido quanto a minha sexualidade e desejos, porém ainda continuo casado talvez por comodidade ou por não ter encontrado alguém realmente especial que valha a pena largar tudo.
Mas enfim, esse conto é totalmente fictício, às vezes quando meus desejos ultrapassam os limites da excitação, gosto de escrever e colocar para fora o que estou sentindo.
Para mim, escrever é uma válvula de escape. É difícil você encontrar alguém legal para se relacionar, ou até mesmo manter uma parceria, um sexo saudável, uma cumplicidade. Nada contra, mas não gosto de promiscuidades, não acho legal sair por ai fudendo com todo mundo, parece que a sensação de vazio só aumenta. Faço a “linha” mais romântica, gosto de toque, beijos, caricias, acho que essa coisa de meter ou ser penetrado somente é muito ruim, preciso de algo a mais. E como um bom geminiano minha imaginação é fértil e na hora do vamos ver gosto de incrementar as coisas, não tenho limites para minha imaginação.

Ler mais

Minha segunda vez com o pai do meu amigo

Vamos a continuação, quem não leu o primeiro conto vai ficar perdido então da uma lida lá e depois continue aqui.
Algumas semana se passaram me afastei da casa do meu amigo Rafinha não conseguia processar direito o que tinha acontecido com seu pai era tudo novo para mim. Seu pai Bruce sempre me mandava mensagem vem almoçar aqui o pessoal está perguntando de você me desculpa qualquer coisa, mas não estava pronto para encara-lo frente a frente, nisso um mês se passou na época estava cursando o técnico em enfermagem fazia o tiro de guerra de manhã, saia de lá ia para o serviço após trabalhar saia as 18h e começava o curso as 19h sempre de bicicleta, um dia a mãe do

Ler mais

É a primeira vez do amigo com outro homem?

Tem algum tempo eu estive trabalhando em uma propriedade enorme na região amazônica. Um local bastante isolado com acesso basicamente por avião. As estradas eram muito ruins e em certas épocas do ano intransitáveis. Foram 40 dias de isolamento, sem internet, tv apenas via satélite e celular nem pensar.

Cheguei na manhã de uma quarta feira, em um voo que partiu de Manaus num aviãozinho bem legal, moderno, com minha mochila de roupas e meus equipamentos, Descemos em uma pista particular dentro da fazenda com asfalto e tudo. A sede era um verdadeiro palacete, muito antiga e muito bem conservada. Eu fiquei instalado em uma casinha arrumadinha ao lado de um pomar impressionante e muito bem cuidado. Todo conforto porém isolada. Eu gosto, na verdade. Depois de alguns dias de trabalho eu já tinha me ambientado com os moradores da colônia, uma mini-cidade construída dentro da fazenda para acomodar os trabalhadores que neste caso eram uns cinquenta.

Ler mais

Deu o melzinho do prazer pro meu amigo

Olá! Vamos pra mais uma aventura.

Aconteceu ontem! Tenho um amigo que vou chamar ele de LP, ele sabe que eu sou bi, conhece minhas aventuras e nunca deu mole pra mim, abertura pra nada.

A gente é muito amigo e eu conto tudo pra ele, ele demonstra não gostar muito dos detalhes, mas sempre muito curioso sobre minhas doideiras.

Marcamos pra eu dormir na casa dele de sexta pra sábado porque não teria ninguém na casa dele, todo mundo na casa da irmã.

Ler mais

Mamando o carioca caminhoneiro

Quem manda msg duvidando dos meus contos ,só lamento kkkk
Curto demais um macho caminhoneiro que cheira a sexo ,chupo e foi mesmo gostoso ,adoro um saco de macho inchado de porra hahaha
Sai cedo pra resolver umas coisas e na volta parei de moto próximo a um posto de combustível ,um lugar com bastante árvores onde eu sei que na hora do almoço os machos param pra descansar .
Dito e feito ,cheguei lá já avistei uns 3 caminhões parados mas só um me chamou atenção,um caminhão pequeno com um cara aparentemente uns 50 anos e um por volta de 28 anos .parei próximo a eles e comecei meu jogo lkkkk . Sentei de lado na moto e de vez enquanto encarava eles ,passava minha língua nos lábios ,colocava o dedo na boca e

Ler mais

Dono do meu cuzinho

Olá, meu nome é Edu e hoje estou com 27 anos. Um tempão atrás eu publiquei um conto sobre quando conheci o Rafa (no conto Passivo pela Primeira Vez), nessa época ambos tínhamos 20/21 anos, estávamos nos descobrindo e transamos muitas vezes a longo de um ano, poucas vezes esporádicas depois disso. Muita coisa mudou desde então, eu me assumi, fiz faculdade, namorei duas vezes e agora nem moro mais na mesma cidade, Rafa continua morando no nosso bairro e não se assumiu até hoje, continua indo pra igreja, andando com heteros e tentando ser um deles. Por alguma razão eu estava lembrando do Rafa nesses últimos dias e do quanto aprontávamos, então decidi escrever mais um conto sobre uma de nossas aventuras quando éramos mais novos.

Ler mais