Transando na viatura

O bloco no geral foi bom, tomei umas brejas, troquei uns beijos com algumas pessoas. Mas o melhor veio depois. Um dos meus amigos ia dar uma festa pós-bloco, e eu fui convidado. Naturalmente, fui para beber mais um pouco e bater um papo.

A festa acabou já era tarde da noite, todo mundo bêbado, e eu sem carona. Além disso, em cidade pequena não tem Uber, então fui pra casa à pé mesmo.

Na metade do caminho, vi uma viatura se aproximando. Os 2 policiais desceram e me perguntaram oque eu fazia uma hora daquelas na rua. Respondi que estava indo para casa, mas não tinha carona. Para se certificar, eles quiseram fazer uma revista, e foi aí que começou a putaria

-Podemos te dar uma carona. Mas te falar que essa roupinha sua nos deu um tesão danado. O que acha?

Já estava na seca há um tempo, então aceitei.
Um deles entrou no banco de trás comigo, e já foi apalpando minha bunda, enquanto o outro dirigia. Já fui abrindo a calça dele e tirando o pau pra fora. Era médio, devia ter um 17cm, mais do que suficiente.
Abocanhei e comecei a mamar, enquanto isso, meu cuzinho era dedado.

Fui mamando o primeiro até chegar em uma área mais deserta da cidade, com poucas casas e o motorista já veio para o banco de trás, tirando minha calcinha e começou a pincelar meu cuzinho.
Abri bem meu rabo e senti a piroca entrar; essa era enorme, devia ter mais de 20cm, e me machucou um pouco. O que eu estava mamando tirou meu vestido e começou a me empurrar na direção do seu pau, fodendo minha boquinha
E lá estava eu, dentro de uma viatura, sendo feito de fêmea por 2 policiais.

Depois de um tempo, os 2 pararam e trocaram de posição; tomar no cuzinho foi mais fácil, já que o pau era menor, agora mamar foi complicado; aquele pau era muito grande e grosso pra minha boquinha e tive que me esforçar pra engolir só metade.

Depois de um tempo os dois pararam e foram os dois pro meu cuzinho.

-A gente vai meter ao mesmo tempo no seu cu tá vadiazinha. Você aguenta.
-Pode meter tudo. – o tesão falou mais alto rs.

Fui sentindo o primeiro entrar, o menor; o segundo, mais grosso, foi me arrombando muito, eu gemia de tesão e dor, mas entrou.
Deixaram um tempo lá pro meu cu alargar, e começaram a meter, sem dó do meu rabinho.

Que delicia eram 2 paus no meu cu, estava sendo arrombado como nunca.

Um tempo passou, o menor tirou e meteu na minha boca, me forçando na garganta profunda, enquanto o grosso me enrrabava. Senti a rola pulsar na minha boca e encher ela de porra. No meu rabo, o policial socou tudo, uivou alto e encheu meu cu de leite. Mas não tirou continuou me fodendo e falou pro outro ir dirigindo, que ele ia me encher mais ainda.

Deixe um comentário