Troca troca de casados

Me chamo João, tenho 43 anos, um dia desses recebi uma mensagem do Guilherme, aqui no site dizendo que tinha gostado do meu conto, e que também era casado e morávamos em cidades próximas. Agradeci o contato e começamos a conversar. Com o decorrer de nossas mensagens, confesso que comecei a me interessar, pois há algum tempo eu não conversava sobre desejos de estar com outro homem e muito menos estar fisicamente com outro homem. Fizemos amizade, trocamos Skype, e telefone, o papo fluiu de uma maneira que parecíamos que já nos conhecíamos faz anos. Sempre que dava nos falamos por um ou pelo outro e ficamos assim nesse papo por um bom tempo sem se conhecer pessoalmente, pois acabava desistindo de alguns convites que ele me fazia, por medo de me expor e acabar sendo descoberto ou de gostar e atrapalhar meu casamento a ponto de separar.

Notei que tínhamos muito em comum. Apesar de sermos casado, não gostávamos de promiscuidades, gostávamos de homem com postura de homem, entre outras coisas que tínhamos afinidades.
Nos falávamos todos os dias, até que aceitei o convite de conhecê-lo. No dia marcado, minhas mãos suavam, o corpo tremia todo e minha boca estava seca de medo.Tive vontade de sair correndo, mas ao mesmo tempo a vontade de conhecê-lo era maior que meu medo.
Nos encontramos num café aqui na minha cidade. Felizmente fomos um com a cara do outro, porque no mundo real é bem diferente, criamos expectativas e na hora não flui como deveria fluir. Batemos um papo ameno, e resolvemos sair dali. Tínhamos já combinado que deveríamos ir a um motel, embora essa fosse a pior parte, pois entrar dois homens num motel era algo bem difícil de encarar. Mas como não havia outro lugar para irmos, encarei com muito medo, mas fui.

Esses começos são bem difíceis, mas como tínhamos já teclado e trocado mensagens de tantas coisas, como o tamanho do pau, gostos, etc, quebramos o gelo quando ele perguntou e agora? Fomos em direção um ao outro, fui beijando seu rosto, sua boca e quando percebi estávamos nos beijando freneticamente como dois apaixonados. Acho que queríamos tanto aquilo que o beijo era cada vez mais quente e com pegada. Tirei minha camisa e me deitei com ele na cama. Íamos tocando o corpo um do outro com muita vontade, a medida que nos despíamos. Estávamos com um tesão imenso.
Finalmente estávamos nus, sentindo nossos corpos se tocarem. Ele tem um pau grande, uns 20 cm, confesso que fiquei meio assustado, é grossinho e bom de pegar. Fiquei por cima dele sarrando e beijando.
Até que ele vem pra cima de mim me beijando, beijando meu pescoço, descendo pelo meu peito, barriga indo ao encontro do meu pau. Senti sua boca engolindo todo os 16cm do meu pau e que sensação maravilhosa. Ele olhava em meus olhos e via que eu estava em êxtase, meus olhos brilhavam como se eu o agradecesse.

Depois, voltei a ficar em cima dele e voltamos a nos beijar. Fui descendo e chupando seus mamilos, acariciando seu corpo, sentia ele se contorcendo de prazer. Enquanto descia e fui chupando sua barriga virilha e cheguei em seu pau, e que pau. Ele já babava. Abocanhei meio sem jeito, quase engasgando, foi quando ele me colocou de lado e começamos um 69 gostoso… Chupava seu pau, bolas, e às vezes passava minha língua em seu saco e bunda.
Pedi pra ele virar, quando o vi de costas com aquela bunda branquinha virada pra mim, fui dando beijos nas suas costas, descendo até chegar na sua bunda, abri e dei uma lambida no seu cuzinho. Nossa como aquilo era bom! Ele se segurava pra não gemer alto.

Depois ele me colocou de lado, beijando a minha nuca, passando suas mãos no me corpo. Sempre muito carinhoso, sentia seu pau pincelando meu cuzinho, sem penetrar, apenas dando leves forçadinhas na entrada e aquilo me deixava louco. Queria sentir ele dentro de mim, foi quando ele sussurrou em ouvido e eu disse que sim, mas com cuidado e carinho.
Ele me abraçou forte, passou bastante lubrificante e foi abrindo caminho, metendo e parando, aos poucos e eu ia rebolando sentindo as minhas pregas relaxarem cedendo ao seu pau. Senti que a cabeça entrou, pedi pra ele não mexer para eu tentar me acostumar, ele ficou parado, me acariciando e às vezes fazia uns movimentos bem devagar e foi metendo devagarzinho. Quando me dei conta, estava todo dentro, tive que me segurar pra não gozar logo. Ele ia metendo, devagar, sentia que aos poucos eu ia gostando e o que era dor se transformava em prazer.
Eu virava a cabeça tentando beijá-lo, ele perguntava se tava gostoso e eu dizia que estava muito gostoso e que há muito desejava aquilo, que eu queria sentir ele dentro de mim.

Ele pediu para eu ficar na posição de frango, assim eu fiz. Sentia ele entrando e saindo de dentro de mim, sentia sua respiração forte, seus beijos molhados. Foi quando ele disse que ia gozar e perguntou se podia ser dentro. Eu só balancei a cabeça gemendo afirmando que podia. Segurei-me pra não gemer alto. E gozei muito enquanto sentia seu corpo todo tremer e gozar dentro de mim. Ficamos um tempo deitado coloquei sua cabeça no meu peito afagando seus cabelos.
Tomamos um banho e voltamos para cama, conversamos sobre família, trabalho… Depois de um tempo começamos a nos tocar novamente, nos beijar, virei ele de bruços, comecei a beijar seu pescoço, costas e bunda. Ele se arrepiava e gemia baixo seu corpo se contorcia todo a cada passar da minha língua.
Fui descendo, comecei a passar minha língua em sua bunda, e seu cuzinho, cada passada de língua ele gemia e se contorcia, quando me pediu para penetrá-lo.Passei bastante lubrificante e com todo cuidado fui penetrando. Como meu pau é menor que o dele, ele não teve muito desconforto.

Quando senti meu pau todo dentro dele, comecei movimentos bem calmos e devagar… Queria sentir cada momento de tesão com ele.
Pedi para que ele ficasse em pé ao lado da cama, e comecei a meter gostoso, dando estocadas mais rítmicas e profundas. Ele dizia que queria ser meu e eu dele, ficamos assim por um bom tempo.
Ele me disse que queria gozar, então pedi que gozasse em meu peito. Deitei na cama, ele em cima de mim, aumentamos o ritmo quando praticamente ao mesmo tempo gozamos. Eu via em seu olhar a satisfação e o prazer. Que delícia sentir o seu sêmem em meu peito.
A gente se abraçou novamente, ficamos abraçados como um casal de namorados por um tempo. Depois levantamos, tomamos uma ducha, nos arrumamos e nos despedimos, pois tínhamos que voltar para o mundo real.

Deixe um comentário